SHARE
Foto: Jorge Campos/Reprodução

O futebol latino é rico em história e repleto de jogadores folclóricos. Ao longo dos anos, não faltaram atletas que marcaram época com estilo de jogo, roupa, cabelo e principalmente atitudes fora de campo.

Leia Mais: Verón treina para deixar aposentadoria pela segunda vez no Estudiantes
Presidente do Deportivo Cueca revela que meia-atacante está na mira de clube brasileiro

Diante desse cenário, a nossa equipe selecionou 10 jogadores que deixaram marcas nos gramados do nosso continente e que certamente jamais serão esquecidos pelos torcedores. Confira a lista:

Jorge Campos

No alto do seu 1,68 m, o goleiro mexicano marcou época por conta das camisas espalhafatosas. Durante muitos anos foi goleiro titular da seleção do México e jogou duas Copas do Mundo pela Tricolor. Apesar de jogar no gol, ele marcou 40 tentos na carreira e fez parte da equipe campeã da Copa das Confederações, em 1999, contra o Brasil.

Chilavert

Um jogador que adorava polêmica. O goleiro paraguaio foi símbolo da geração dos anos 90 e ficou marcado por balançar as redes. No fim da carreira, o camisa 1 paraguaio foi flagrado cuspindo na cara do lateral Roberto Carlos, em jogo válido pelas Eliminatórias.

Higuita

O goleiro colombiano gostava de jogar com a bola nos pés. Na Copa do Mundo de 1990, Higuita resolveu sair jogando na intermediária contra Camarões, perdeu a bola e viu seu país cair fora da competição. Anos mais tarde, o jogador ficou marcado pela defesa do “escorpião”, no amistoso contra a Inglaterra, em Wembley.

Simeone

O atual técnico do Atlético de Madrid, da Espanha era um verdadeiro leão dentro de campo. Ao melhor estilo argentino, Simeone gostava de catimbar e chegar firme nos adversários. Para entender melhor a garra do jogador, era difícil assistir um Brasil x Argentina nos anos 90 sem Simeone se meter em confusão.

Rojas

O goleiro chileno ficou marcado no futebol sul-americano por conta do jogo contra o Brasil, no Maracanã. Na época, Rojas simulou ter sido acertado por um rojão das arquibancadas, mas depois foi descoberto e teve sua carreira encerrada. Anos mais tarde, ele treinou o São Paulo e recolocou o Tricolor na Libertadores.

Aloísio Chulapa

Dono de um porte físico excelente e faro de artilheiro apurado, Aloísio Chulapa ganhou a simpatia dos torcedores por conta da sua simplicidade fora de campo, onde admira um bom e gelado ‘danone’. No São Paulo, ele foi fundamental na conquista do título Mundial de 2005 e o tricampeonato Brasileiro na década de 2000.

Loco Abreu

O atacante uruguaio tem inúmeras histórias no mundo do futebol, mas nada se compara ao pênalti convertido nas quartas de final da Copa do Mundo, quando ele bateu de cavadinha e colocou o Uruguai na semifinal do torneio após 40 anos.

Garrincha

O anjo das pernas tortas ficou marcado por entortar seus marcadores com a camisa do Botafogo e Seleção Brasileira. Na Copa de 62, levou o Brasil nas costas e ajudou o país a conquistar o troféu pela segunda vez.

Valderrama

Dono de uma cabeleira inconfundível e personalidade muito forte. Carlos Valderrama foi meio de campo da seleção colombiana na década de 90 e do Junior Barranquilla. Apesar da aposentadoria, o jogador sempre aparece na imprensa para criticar o nível do futebol colombiano nas Eliminatórias e o técnico José Péckeman.

Maradona

Para fechar a lista, Diego Maradona. O eterno camisa 10 argentino não poderia ficar fora desta seleção e mesmo com lances magníficos dentro das quatro linhas, Díos também chama a atenção na vida pessoal por conta dos problemas com drogas e a conturbada relação com esposas e filhas.