SHARE
Foto: Rodrigo Coca/Foto Arena

*Por Tiago Emanuel

Até o ano de 2004, a Pré-Libertadores era disputada em um formato quadrangular com jogos de ida e de volta. Ao final, os dois melhores colocados avançavam à fase de grupos. A partir de 2005, a CONMEBOL estipulou duelos mata-mata pelas 6 vagas disponíveis para a maior competição de clubes da América do Sul. A Pré-Libertadores passou a ser mais democrática pelo número de vagas, mas os confrontos diretos trouxeram muitas surpresas ao longo dos últimos 11 anos.

As populares e quase sempre indigestas zebras apareceram desde a segunda edição do formato, e dão mais dinamismo e emoção à classificatória. Os clubes brasileiros dão-se por satisfeitos ao terminar o campeonato nacional na quarta colocação (neste ano em 5º ou 6º), e chegam a alegrar-se pela Libertadores. De fato, a fase inicial faz parte da competição, mas sempre pode aparecer um Tolima no caminho. Acompanhe a lista com essa e outras 4 zebras da Pré-Libertadores.

1– Universitario (PER) x Nacional (PAR) – 2006

Favorito na segunda edição do atual molde da Pré-Libertadores, o Nacional foi eliminado em 2006 após um 2×2 em Assunção e um 0x0 em Lima. Após eliminar os rivais paraguaios, o Universitario foi o último colocado no Grupo 5, com apenas dois empates.

2 – Deportivo Táchira (VEN) x Cerro Porteño (PAR) – 2015

Os venezuelanos do Táchira haviam chegado às quartas de final da Libertadores 2004, enquanto que o Cerro já havia chegado a seis semifinais da competição. Cenário perfeito para a zebra saltitar. No estádio Pueblo Nuevo, Venezuela, o Deportivo venceu por 2×1 (gols de Rojas e López). Na volta, dois gols de Rivas garantiram o empate por 2×2 aos venezuelanos, e a vaga foi-se para a terra de Hugo Chávez.

3 – River Plate (URU) x Universidad de Chile (CHI) – 2016

As 21 participações de La U não significaram nada para o estreante River Plate na Libertadores deste ano. O craque do emergente clube uruguaio, Michael Santos, marcou o primeiro gol de pênalti e o arqueiro chileno Johnny Herrera (ex-Corinthians) ficou marcado com um gol contra minutos depois. A partida de volta, no Chile, terminou zerada. Gonzalo Jara, Corujo e Gustavo Canales caíram para o River uruguaio.

4 – Palestino (CHI) x Nacional (URU) – 2015

Tricampeão da Libertadores da América, o Nacional foi eliminado pelo modesto Palestino do Chile. Até aquela partida, o clube chileno tinha tantas participações (1976, 1978 e 1979) quanto títulos colecionava seu rival. A partida de ida, no Estádio Santa Laura, em Santiago, foi vencida por 1×0 pelo Palestino (gol de Rosende). A volta, no Gran Parque Cental, trazia grande expectativa sobre o time uruguaio, mas foi o atacante chileno Renato Ramos que abriu o marcador. O Nacional ainda virou para 2×1, mas o saldo qualificado deu a vaga para o Palestino.

5 – Tolima (COL) x Corinthians – 2011

No ano da última Libertadores do Santos, Ronaldo e cia. foram eliminados em plena Colômbia pelo Tolima. Após um tenso 0x0 em São Paulo, Santoya e Medina “fizeram o crime” no estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué. Além do Fenômeno, Alessandro, Paulinho, Ralf, Danilo e outros atletas campeões da Libertadores de 2012 integravam o elenco eliminado de forma vexatória. O baque foi tamanho, que no retorno ao Brasil, a torcida protestou em frente ao CT do Coringão, e Ronaldo anunciou sua aposentadoria dos gramados.