SHARE
Foto: Divulgação Bahia

O Bahia derrotou o Vitória na Fonte Nova e conseguiu se afastar um pouco mais da zona de rebaixamento. Porém, apesar do resultado que foi decidido nos últimos minutos a favor do Esquadrão de Aço, um fato nada agradável chamou a atenção no duelo. Durante os minutos finais, os jogadores das duas equipes se estranharam e o atacante Tréllez, do Vitória, teria chamado Renê Junior, do Bahia, de macaco.

Leia Mais: Bahia leva a melhor na Fonte Nova e afunda o Vitória no Brasileirão
Edigar Junio desabafa após marcar o gol da vitória no Ba-Vi

Nos vestiários, o volante Tricolor apareceu ao lado do presidente do clube Marcelo Sant’Ana e lamentou os insultos. Além disso, Renê deixou claro que não irá prestar queixa contra o rival.

“É inadmissível acontecer esse tipo de coisa. Não é qualquer palavra que vai me colocar para baixo. Gostaria que eu, meus filhós e todos os outros negros fossem julgados pela personalidade e não pela cor da pele. Ele sabe que falou. Não vou dar queixa. A maior punição vem do homem lá de cima. Alguns jogadores pediram para eu não dar queixa. Tenho muito orgulho da minha raça, a minha origem e não vou me colocar para baixo por isso”, afirmou.

O presidente do Tricolor também resolveu dar seu parecer sobre o caso e manifestou total apoio ao volante. Marcelo Sant’Ana deixou claro que o clube não vai pedir a punição do jogador, mas espera que esse caso não se repita.

“O Bahia está ao lado de Renê Junior e acho um pecado o atleta do Vitória ter essa atitude. Não vamos alimentar esse caso, pois entendemos que clássico é mais disputado e pegado. Espero que isso não aconteça mais e não tenha esse tipo de agressão no futebol”, afirmou.