Foto: Divulgação

Chegou a hora de relembrar da Copa Sul-Americana. Diferentemente da Libertadores, o segundo maior torneio de clubes do continente não teve polêmicas fora de campo e terminou com o Athletico-PR levantando o primeiro caneco internacional.

Leia Mais: Retrô FL: River Plate vence a Libertadores mais conturbada de todos os tempos

Como já é costume, a competição inicia de maneira inchada e teve o acréscimo dos times que caíram fora da primeira fase da Liberta.

Quando afunilou não teve jeito. Brasileiros e colombianos se destacaram e chegaram com força na reta final. Na semifinal, dois times para cada país e Athletico-PR e Junior Barranquilla disputaram a grande final.

No primeiro jogo, o Furacão abriu vantagem com Pablo, mas a equipe colombiana empatou na sequência e desperdiçou um pênalti,

Na Arena da Baixada a história se repetiu. Pablo colocou o Athletico-PR perto do título. Na etapa final, Teo Gutiérrez deixou tudo igual e Piedrahita, na prorrogação, teve a chance de dar o troféu na prorrogação. Porém mandou a cobrança de pênalti na arquibancada.

Após 120 minutos de igualdade, a taça foi decidida na penalidade máxima e Thiago Heleno, de bico, fez a alegria do Furacão com o primeiro titulo internacional da história.