SHARE
Foto: Daniel Cáceres - Clarín

Em duelo emocionante, o River Plate bateu o Rosario Central por 4 a 3 e conquistou a Copa Argentina. Além do título, a equipe dirigida por Marcelo Gallardo garantiu presença na Libertadores da América em 2017. Já os Canallas continuam a sua seca de títulos que já dura 21 anos.

Leia Mais: River Plate e Rosario Central duelam hoje por título e vaga na Libertadores
Goleiro do Atlético Nacional pode estar de saída para o Boca Juniors

O jogo

Nos primeiros minutos os times partiram para cima e os lances polêmicos deram o tom no começo do confronto.
Logo aos 10 minutos, Teo Gutiérrez foi puxado por Ponzio dentro da área e o juiz deixou no jogo seguir. Na sequência do lance, o River foi para o ataque e Driussi foi derrubado dentro da área por Musto. O árbitro deu pênalti e na cobrança Alario abriu o placar.

Em desvantagem, o Rosario Central tomou conta das ações e pressionava o rival de todas as formas. Após um cruzamento da intermediária, Teo Gutiérrez saiu na cara de Batalla e obrigou o goleiro a salvar o River em cabeçada a queima roupa.

Aos 25 o time Canalla empatou. Em erro de Batalla, Musto ganhou a dividida do goleiro e só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes, 1 a 1.

Empolgados com o empate, a equipe de Rosario virou o confronto cinco minutos depois. Walter Montoya avançou com a bola desde o campo de defesa, tocou para Teo Gutiérrez que cruzou para Marco Ruben. O camisa 9 ganhou da marcação e tocou na saída do goleiro, 2 a 1.

Quando parecia que a primeira parte ficaria em vantagem dos Canallas, o River deixou tudo igual. Em lance duvidoso, o árbitro marcou pênalti de Gissi em Alario. Na cobrança, o camisa 13 novamente deslocou o goleiro e empatou, 2 a 2.

Segundo Tempo

A etapa final começou menos intensa e com o sistema defensivo ganhando todas as divididas em cima do ataque. Aos 18 minutos o Rosario voltou a ficar em vantagem no placar. Após bela troca de passes na intermediária, Aguirre chutou, o goleiro rebateu e Marco Ruben aproveitou o rebote para marcar o segundo gol no jogo.

Minutos depois ficar a frente do marcador, o Rosario quase ampliou com Lo Celso. O camisa 10 aproveitou uma bobeira na marcação e chutou forte de fora da área, Batalla caiu desajeitado, mas conseguiu praticar a defesa em dois tempos.

No melhor estilo “quem não faz toma”, o River igualou o marcador aos 25 com Alario. Em cobrança de lateral, Alonso ajeitou para o camisa 13 que ficou cara a cara com o goleiro e mandou para as redes, 3 a 3.

O gol levantou a moral do River Plate que virou o marcador com Alonso quatro minutos depois do empate. O atacante Rodrigo Mora levantou na grande área, Oliveira cabeceou para trás e o centroavante se antecipou a marcação para finalizar e comemorar junto com a torcida, 4 a 3.

Nos minutos finais o Rosario tentou pressionar, mas o time de Marcelo Gallardo suportou as investidas e comemorou muito após o apito do árbitro.