Cerro-Porteño-River-Plate-1-Futebol-Latino-Lance-29-08
Foto: AFP

Confronto tão ansiado pela imprensa albiceleste há muito tempo, o reencontro pela Libertadores entre os maiores rivais do futebol argentino Boca Juniors e River Plate acontecerá na semifinal da edição 2019. Isso porque, depois do time Xeneize se garantir na última quarta-feira (28) frente à LDU, o Millonario conseguiu empatar em 1 a 1 contra o Cerro Porteño no estádio La Nueva Olla, em Assunção, e assegurou também sua passagem a etapa seguinte do torneio que é o atual campeão.

Leia mais: Jonathan Fabbro é condenado por abuso sexual contra afilhada
Ex-Athletico marca o seu primeiro gol pelo Shaktar Donetsk

Primeiro tempo

Menos de 30 segundos de partida. Foi isso que demorou o ataque argentino para armar uma rápida torca de passes onde Matías Suárez ia ficando cara a cara com o arqueiro Juan Carrizo, mas o goleiro do Cerro foi bem na saída da meta e antecipou a reação do adversário dando um carrinho e mandando a bola pela linha lateral.

Os anfitriões demonstravam muita dificuldade sequer para conseguirem uma imposição em volume de jogo, parecendo o ambiente mais tranquilo para os riveristas. Entretanto, aos nove minutos, o centroavante Joaquín Larrivey teve espaço para sair da grande área e cruzar muito bem para o experiente Haedo Valdez testar no canto da meta de Franco Armani onde o arqueiro sequer reagiu. 1 a 0 e festa incontida do torcedor paraguaio.

A sequência da etapa inicial transcorreu de maneira mais tensa do que propriamente jogada. Se o Ciclón não conseguiu imprimir a pressão que poderia lhe aproximar do segundo gol, tendo bastante dificuldade para concatenar as jogadas, o River tampouco conseguia exercer o mesmo domínio técnico da primeira partida e se via envolvido na dinâmica do adversário.

Em meio a esse clima, aos 36 minutos o time de Assunção poderia ter aumentado sua vantagem no marcador com Federico Carrizo recebendo bola dentro da grande área e em condições de bater no gol, mas Armani defendeu com a perna esquerda e salvou a equipe visitante.

Segundo tempo

Na volta do intervalo, o Millonario se aproveitou de um espaço concedido pela zaga do Cerro Porteño logo aos sete minutos onde, após Matías Suárez chutar e Carrizo defender, ela sobrou para Nicolás De La Cruz pegar de primeira, com o peito do pé, e ver ela bater no travessão antes de estufar as redes. Bonito tento que deixou tudo igual em La Nueva Olla.

O tento visivelmente deixou a torcida cerrista mais “murcha” e trouxe a dose de ânimo e tranquilidade que os argentinos precisavam para se sentir confortáveis na partida e, trabalhando bem a bola no ataque, passasse a dominar as ações ofensivas e o controle do jogo como um todo.

Sem conseguir reagir, o Cerro se via em situação onde tentar explorar os lados de campo buscando as bolas aéreas já não era tão eficiente e/ou surpreendente como outrora. Quando tentava as infiltrações pelo meio, a marcação pressão feita pelos comandados de Marcelo Gallardo dava pouco espaço de manobra e, em via de regra, a retomada da posse era rápida.

Com isso, foi apenas questão de tempo para o River Plate ouvir o apito final do árbitro chileno Julio Bascuñán que confirmou sua classificação.