O domingo foi especial para o torcedor do Bahia e para o atacante Rodrigão. Na Arena Fonte Nova, o Tricolor empatava com o Grêmio por 0 a 0 e não conseguia o objetivo de somar três pontos dentro de casa, porém, através de uma cobrança de pênalti nos acréscimos da segunda etapa, o time venceu o rival por 1 a 0 e respirou na tabela do Brasileirão.

Leia Mais: Melhor ataque do Brasileirão, Grêmio vive momento de “seca”
Náutico tenta a reabilitação contra o Paraná no Durival de Britto

Autor do gol de pênalti, Rodrigão era só alegria nesta segunda-feira e aproveitou a entrevista para rebater os críticos, que pegaram no seu pé por conta das últimas atuações pelo Bahia.

“Após o jogo recebi o carinho da minha família e amigos. É sempre importante ter esse afago e me sinto mais forte para as próximas batalhas. Tem muita gente que não sabe o que passa, a minha dedicação e comprometimento com a camisa do Bahia e fala bobagem na televisão. Falar de mim é fácil, difícil é ser eu”, desabafou.

Sobre a frieza na hora da cobrança, o atacante exaltou seus treinamentos durante a semana para conseguir converter a penalidade.

“Sempre fico até mais tarde para treinar penalidade e ontem foi a prova que dá resultado. Chamei a responsabilidade e consegui vencer um goleiro que tem fama de pegador de pênalti, como é o caso do Paulo Victor”, declarou o centroavante.

Por fim, Rodrigão falou sobre o incômodo jejum do Bahia em jogos contra o Coritiba em Salvador. A última vitoria do Tricolor aconteceu em 1999, pela Copa do Brasil, quando venceu por 3 a 0.

“Eu não gosto muito de falar sobre esse jejum, mas na minha análise tabu é para ser quebrado e contamos com o apoio da torcida para vencer e se afastar da zona de rebaixamento para ter um pouco de tranqüilidade”, finalizou.

Source link