SHARE
El-Nacional-crise-salário atrasado-Rubén-Insúa-Futebol-Latino-15-10
Foto: Reprodução/Ecuavisa

Ídolo com a camisa do Barcelona do Guaiaquil nos tempos de jogador e também com três passagens pelo banco de reservas do Ídolo, o argentino Rubén Darío Insúa sente que não chegou ao fim sua história com o clube equatoriano.

Leia mais: Cria da base do Inter prolongou contrato com o Fortaleza
Filho de Gallardo lamenta pesada derrota em estreia no River Plate

Em entrevista dada por Insúa ao periódico El Universo, ele ressaltou que existem dois objetivos os quais ele é desejoso de conseguir alcançar treinando o Barce:

“Creio que a minha relação como técnico do Barcelona, todavia, ainda tem alguns capítulos. Me falta cumprir dois desafios: Voltar a ser campeão nacional e, segundo, ganhar um título internacional. Quando conseguir isso vou dar por concluída com o Barcelona a minha relação como treinador. Depois, caso não trabalhe mais em Guaiaquil, se não na Argentina ou em qualquer outro lado. Ou a seleção do Equador, não se sabe.”

Além dessas metas, o profissional que trabalhou por último como treinador no ano passado no Bolívar aproveitou para declarar todo seu amor pelo clube amarelo:

“Me sinto uma pequenina parte entre os que colaboraram para melhorar a história do clube. Sim, tenho um grande afeto por esse clube, não diria que o que tenho mais. Joguei e foi técnico do San Lorenzo, que é o clube que fui torcedor durante toda a minha vida. Quando vim ao Equador, disse que a única camiseta que colocaria aqui era a do Barcelona e cumpri. Mas, como treinador, a realidade muda.”