tecnico-brasileiro-renuncia-ao-seu-cargo-na-bolivia-Futebol-Latino-30-08
Foto: Divulgação/Destroyers

Enquanto para uns vencer partidas como um clássico local são suficientes para terem a chamada “sobrevida” no comando técnico de uma equipe em má-fase, já se sabe que nem isso será suficiente para que o treinador brasileiro Evandro Guimarães permaneça dirigindo o Destroyers.

Leia mais: Atacante francês demonstra alegria ao deixar time da América
Situação física de Alisson é atualizada por Jurgen Klopp

Em entrevista coletiva dada nessa sexta-feira (30) pelo profissional ao lado do presidente do clube, Lorgio Blanco, Evandro comunicou que está de saída da equipe, assumiu toda a responsabilidade dos possíveis equívocos e agradeceu a oportunidade:

“Sou o responsável direto por tudo e um profissional tem que saber a hora de se retirar. Quero deixar meu abraço, meu carinho pelo Destroyers e pelo presidente especialmente. Foi uma honra para nós (comissão técnica) trabalharmos aqui.”

Os resultados do Clausura pesaram bastante para a atual decisão. Em nove rodadas, o Tractor Amarillo ganhou apenas uma, empatou três e perdeu as outras cinco partidas. Não à toa, no momento, o time ocupa o penúltimo lugar da competição e o último posto pensando na tabela acumulada com 28 ponto, correndo sério risco de retornar a segunda divisão no futebol da Bolívia.

Se for analisada a somatória da passagem como um todo, a estatística também não é animadora: 35 jogos com seis vitórias, 10 empates e 19 derrotas. Na próxima rodada, domingo (31), o Destroyers enfrenta o clássico local contra o Blooming.

Aos 45 anos de idade, essa é a primeira experiência fora do país vivida pelo técnico brasileiro. Tendo estreado na função dentre os profissionais em 2012 no extinto Grêmio Barueri, ele passou por Vitória das Conquista, Coruripe, Juazeirense, Salgueiro e Fluminense de Feira antes de assumir a equipe boliviana em janeiro desse ano.