Foto: Divulgação Boca

Nesta sexta-feira, o técnico Guillermo Barros Schelotto concedeu a última entrevista antes da grande final da Libertadores da América, no domingo. Misterioso, o treinador não revelou a equipe que começa o jogo e falou sobre a opção de jogar fora da Argentina.

Leia Mais: Provocações de ambos os lados marcam final da MLS
Christian Cueva nega ato de indisciplina na seleção do Peru

“Eu não decidi qual formação entra em campo e só vou ter uma posição sobre o tema quando chegar ao estádio. Fiquem tranquilos para especular, pois não vou revelar nada até domingo”.

É a final da Libertadores, a partida que sonhamos desde o primeiro jogo da temporada e é o sonho dos nossos torcedores. Faremos de tudo para sair de campo com o título”, completou.

Em outro ponto da entrevista, o comandante do Boca Juniors comentou sobre a partida na capital espanhola. Assim como praticamente todos os envolvidos na decisão, Schelotto também gostaria de jogar no Monumental de Núñez.

“Nós gostaríamos de jogar em nosso país, no Monumental, mas infelizmente não foi possível. É lamentável que as coisas se resolvam desse jeito, porém, entendo que tomaram a decisão de jogar aqui por conta da violência que assombra o futebol na América”, afirmou.

River Plate e Boca Juniors se enfrentam neste domingo, a partir das 17h30 (Horário de Brasília). O primeiro jogo terminou empatado por 2 a 2 e caso persista a igualdade, os dois times terão que jogar a prorrogação. Se não houver vencedor, o título fica para a decisão de pênaltis.