traficante-afirma-que-comprou-equipes-mexicanas-e-federacao-mexicana-sabia-Futebol-Latino-12-12
Foto: Divulgação/Federação Mexicana de Futebol

Uma declaração bombástica foi dada nessa semana envolvendo notória figura do narcotráfico mexicano, Tirso Martínez Sánchez, e como a Federação Mexicana de Futebol (FMF) teria ciência da ligação do esporte a atividades e investimentos ilícitos nos últimos anos.

Leia mais: Zagueiro brasileiro bate marca obtida nos tempos de Corinthians
Beñat San José se recusa a falar sobre saída polêmica da Universidad Católica

Segundo declarou Tirso as autoridades dos Estados Unidos no julgamento de Joaquín “El Chapo” Guzmán, considerado um dos criminosos mais perigosos do mundo, em seu trabalho de contato diário com os cartéis mexicanos ele investiu quantias consideráveis de dinheiro na compra de equipes de futebol na sua terra natal.

O narcotraficante chamado de “El Futbolista” chegou a inclusive dar nomes dos seis clubes que estariam envolvidos no esquema que denota ato de lavagem de dinheiro: Celaya, Irapuato, Querétaro, La Piedad, Mérida e Venados de Yucatán.

Ele ainda mencionou que a FMF, quando sobe de quem eram as equipes citadas ainda no ano de 2006, tentou fazer contato com ele justamente para comprar as ações das equipes em questão. Forçando, aliás, para que ele negociasse a propriedade do La Piedad pela quantia de nove milhões de euros (quase R$ 40 milhões).

Como se não bastasse a gravidade dessas informações, Tirso Martínez Sánchez ainda disse que, para reduzir o número de equipes na Liga MX, a principal divisão do futebol local, a Federação Mexicana chegou a comprar o Querétaro e o Irapuato com a intenção de fazê-las “sumir” do mapa.