treinador-do-cruz-azul-nao-precisara-pagar-jogo-restante-de-suspensao-Futebol-Latino-03-01
Foto: Osvaldo Aguilar/Mexsport

Uma dúvida pairava sobre a possibilidade do técnico português Pedro Caixinha, agora no Cruz Azul, necessitar cumprir ainda um jogo de suspensão da pena que sofreu quando ainda treinava o Santos Laguna em 2015.

Leia mais: Jogador do Tigres sofre queimadura no rosto e no corpo após soltar fogos
Nova fornecedora de material esportivo fará grande aporte no Universitario

Na ocasião em questão, Caixinha fazia sua última partida a frente do Santos mexicano contra o América e, depois de constantemente reclamar das decisões da arbitragem, chegou a chutar uma bola que estava a beira de campo na direção do árbitro da partida, Luis Santander.

Além de ter sido expulso do gramado, ele foi punido pela Comissão Disciplinar com uma partida de suspensão. Fato que, para a temporada de 2018, acabou sendo benéfico ao português graças ao que prevê o próprio Regulamento de Sanções no Artigo 41:

“Os integrantes do corpo técnico que forem sancionados com menos de cinco partidas de suspensão ou que tenham menos de cinco partidas para cumprir poderão, depois de um ano transcorrido, cancelar sua suspensão através do pagamento de um aporte extraordinário de 150 dias de salário mínimo por cada partida que falte para cumprir.”

Com isso, o profissional está liberado para comandar o time da Cidade do México na próxima sexta-feira (6) quando, no estádio Azul, o time Cementero já estreia no Clausura 2017/2018 da Liga MX diante do Tijuana.