SHARE
Seleção-peruana-sobre-posição-ranking-FIFA-Futebol-Latino-04-03
Foto: Reprodução/Facebook Federación Peruana de Fútbol

Para a seleção do Peru e todos os peruanos, classificar-se ao Mundial da Rússia não se trata apenas de garantir lugar na maior festa do futebol no planeta a nível de seleções, mas também realizar um sonho que não se concretiza desde 1982.

Leia mais: Juventude mostra apoio a importante projeto social de Caxias do Sul
“Substituto do substituto” estará hoje no banco de reservas do Equador

Não a toa, em todas as oportunidades que possui, as redes sociais e comunicados feitos pela Federação Peruana de Futebol (FPF) relacionadas a partida decisiva de hoje (10) contra a Colômbia em Lima segue duas linhas claras: Unir o torcedor e trazer ele para o clima de uma verdadeira “final”.

Além do auxílio da imprensa local até mesmo com folhetos que podem ser levadas ao Estádio Nacional de Lima com dizeres como “Vamos, Peru, deixe tudo em campo!”, vídeos promocionais são produzidos contendo mensagens dos próprios atletas com esse raciocínio.

No último deles, inclusive, figuras como os atacantes Andre Carrillo e Paolo Guerrero pediram para que os torcedores peruanos, no momento da execução do hino nacional, se abracem em forma de demonstrar união a um povo que, “mesmo em meio a diversidade, se torna um só por esse objetivo”.

Até mesmo as autoridades locais tentam proporcionar o melhor ambiente possível para que tudo dê certo para a Blanquirroja, decretando feriado na cidade de Lima após o meio-dia no horário do Peru (14h no Brasil) para facilitar a mobilidade e, evidentemente, fazer com que todos possam se preparar com larga antecedência para a grande partida.