COMPARTILHE
Foto: Reprodução / Mexsport

Sendo uma das figuras mais experientes e também respeitadas do futebol paraguaio, o goleiro do Colo-Colo, Justo Villar, não hesitou em defender o zagueiro Julio Cesar Cáceres da acusação e punição por doping sofrida pelo atleta do Guaraní na última quarta-feira (8).

Leia mais: Torcida FL: Alguns dos cantos mais bonitos da América Latina
Empresa brasileira fecha acordo com clube chinês

Em declaração que foi dada ao tradicional programa de rádio local Fútbol a lo Grande veiculado pela 1080 AM, Villar não teve a menor dúvida de que a situação foi uma represália ao fato de que Cáceres sempre criticou as administrações e dirigentes do futebol no Paraguai:

“Nossa país é uma vergonha. Os que o acusaram, no final das contas, foram justamente os paraguaios. A forma como tudo isso foi administrado é bem difícil de entender. A questão terminou sendo mais política do que qualquer coisa. Sabemos que as coisas no Paraguai são tratadas dessa forma, não podemos tentar tapar o sol com o dedo. Não vejo Julio se negando a ser submetido a um teste de doping, creio que tem gente que precisa começar a dizer a verdade.”

O resultado que inicialmente condenou o jogador do clube de Assunção teria sido a Octopamina em um pós-jogo diante do Sol de América pelo campeonato nacional em agosto de 2016.

No entanto, após sofrer uma punição de dois anos por esse teste, Cáceres ainda foi condenado a cumprir ainda mais dois anos por supostamente ter se negado a fazer o antidoping em dezembro também do ano passado e também pelo campeonato paraguaio.

Além das duras palavras, o arqueiro de 39 anos também fez questão de exaltar a reputação do jogador punido, o qual teve duas passagens pelo Atlético-MG nos anos de 2005 e 2010:

“Julio é um cara que fez muito pelo futebol paraguaio. Estão manchando o bom nome do Julio. Já passou por várias situações e existem coisas que foram muito mal administradas. Seguramente ele vai recorrer ao TAS (Tribunal Arbitral do Esportes), porque isso é algo que ele tem direito.”

Com 37 anos de idade, caso Cáceres não consiga diminuir ou mesmo ser absolvido da sua punição, esse deve ser o fim da trajetória futebolística do zagueiro que, além de vários clubes na América Latina e Europa, defendeu por 65 vezes a camisa da seleção paraguaia e marcou dois gols.