Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Aniversariante do dia, Maradona já foi empresário de jogador brasileiro

aniversariante-do-dia-maradona-ja-foi-empresario-de-jogador-brasileiro-Futebol-Latino-30-10
Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Dentro das quatro linhas (e muitas histórias fora delas) são bastante famosas devido ao potencial midiático global que a figura de Diego Armando Maradona, aniversariante dessa sexta-feira (30) que completa 60 anos de idade, possui.

OS_BRAZIL_300x250_2020_Q2_SOC

Leia mais: Astro do River Plate abre o jogo e admite a vontade de atuar na Europa
Liga MX: Time de Valdivia, Mazatlán aplica goleada histórica

Entretanto, uma delas está diretamente relacionada não só ao período em que esteve impossibilitado de atuar por conta do doping que foi flagrado pela primeira vez no ano de 1991. Isso porque, nesse período, o Pibe atuou como empresário e decidiu comprar os direitos de um atleta conhecido, principalmente, do torcedor do Bahia: o ex-jogador e ídolo do clube Charles.

Campeão do Brasileirão em 1988 (o segundo na história do Esquadrão) ao lado de outros celebrados nomes como Bobô, Gil Sergipano, Zé Carlos, Gallo, dentre outros, Charles chegou a se transferir para o Málaga (Espanha), mas rapidamente voltou ao Bahia e deu sequência na sua carreira pelo Cruzeiro onde continuou mostrando seu talento ao ajudar o time mineiro a faturar a Supercopa da Libertadores em 1991. E seria ali, batendo o River Plate na decisão, que seu destino estava prestes a se unir com o do Pibe.

Já no ano de 1992, o jogador foi chamado no hotel que estava hospedado em Buenos Aires (o Cruzeiro disputava a Copa Master na cidade) por representantes de Maradona que queriam conversar com ele para o fechamento do negócio que teria sido concluído pelo equivalente a 1,25 milhão de dólares (na época equivalente a R$ 3,5 milhões).

“”Os argentinos chegaram ao hotel onde o Cruzeiro estava hospedado, o Benecy Queiroz (ex-funcionário do Cruzeiro) me ligou no quarto e falou ‘o pessoal do Maradona está aqui querendo que você desça para acertar, eles querem contratar você’. Meu companheiro de quarto na época era o Zé Carlos, goleiro, que Deus o tenha, e eu comentei com ele ‘o Benecy está tirando onda com a minha cara, falando que vai me vender para o Maradona’. Passou dez minutos e o Benecy me ligou de novo, pedindo para eu descer porque os caras estavam esperando. Eu nem acreditei, só acreditei quando vi o Maradona”, disse Charles em entrevista dada ao Superesportes em 2011.

O jogador chegou a defender o Boca Juniors depois de ser adquirido por Maradona, mas não teve o rendimento esperado apesar da conquista do Apertura argentino daquele ano. Com isso, retornou ao Brasil já em 1993 e teve, na reta final da carreira, ainda a possibilidade de defender grandes equipes do cenário nacional como Grêmio, Flamengo e Bahia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *