Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Brasil vence o Uruguai e fecha 2020 de forma invicta nas Eliminatórias

Uruguai-x-Brasil_17_11_2020
(Foto: AFP)

*Por Danilo Di Grado

Com a melhor campanha das Eliminatórias para a Copa de 2022 até o momento, a Seleção Brasileira, na noite desta terça-feira (17), superou mais obstáculo na competição. Desta vez, a equipe visitou o Uruguai, no estádio Centenário, em Montevidéu.

OS_BRAZIL_300x250_2020_Q2_SOC

Leia Mais: Equador promove atropelamento sobre a Colômbia nas Eliminatórias
Olha a zebra! Venezuela surpreende e derrota o Chile

Com o resultado de 2 a 0, os comandados de Tite chegaram aos 12 pontos somados, mantendo a primeira colocação, e só entrará em campo agora em março de 2021, quando irá encarar a Colômbia. Já os comandados de Óscar Tabárez, com o tropeço, caíram para a 5ª posição estacionando com seus 6 pontos até então, e também só entrará em campo pela competição no próximo ano, tendo a Argentina como primeira adversária.

O jogo

Sabendo das dificuldades que teria pela frente, a Seleção Brasileira não quis saber de sofrer a tradicional pressão inicial por parte do Uruguai e logo foi pra cima. Com isso, aos 2 minutos, Gabriel Jesus tratou de testar o goleiro Campaña, porém o camisa 12 conseguiu fazer a defesa.

No entanto, os donos da casa não quiseram apenas focar em seu sistema defensivo. Sendo assim, em uma resposta rápida, Darwin Núñez, depois de fazer a finta pra cima de Danilo, acertou a trave de Ederson e, na sequência, Cavani, aos 10, Cavani acabou subindo demais.

Até meados dos 25 minutos, com Thiago Silva e Marquinhos tentando acionar seus companheiros de time no campo de ataque, os lançamentos para Firmino, Gabriel e companhia acabavam parando na forte marcação da Celeste.

Com o Uruguai melhorando em campo, o Brasil passou a ficar sem jogadas ofensivas. Em raros os lances, em nenhum os visitantes deram trabalho ao arqueiro Campaña, sofrendo até algumas investidas.

Mas os comandados de Tite, na expectativa de abrir a contagem, finalmente encontrou seu tento aos 33 minutos. Com Gabriel Jesus dominando a bola dentro da área, o camisa rolou para trás dando boa bola para Arthur bater de fora, contando com o desvio na zaga. 1 a 0.

Quase perto dos acréscimos, aos 44, Richarlison acabou deixando o dele. Em jogada iniciada com uma cobrança de escanteio curto de Everton Ribeiro para Renan Lodi, o lateral cruzou na medida para o camisa 7, de cabeça, mandar sem chances para o goleiro. 2 a 0.

Já no segundo tempo, a Seleção Canarinho pressionou mais nos primeiros 15 minutos. No entanto, as jogadas ofensivas como a cobrança de Everton, acabaram todas parando na mão do camisa 12.

Promovendo as primeiras trocas, pelo lado do Uruguai, Torreira, Betancur e De La Cruz deixaram o campo, enquanto pelo lado do Brasil, Tite mudou apenas uma vez, colocando Cebolinha no lugar Richarlison. E mesmo com as substituições, as coisas ficaram mais difíceis para a Celeste com a expulsão de Cavani, após falta dura no camisa 7, em lance revisado pelo VAR.

Mesmo com desvantagem numérica, a equipe local até conseguiu descontar no marcador. Aproveitando rebote após a bola ficar viva na área, Cáceres tentou na primeira, porém na segunda, mesmo balançando as redes, seu gol acabou anulado com um impedimento sendo flagrado no lance.

Para ganhar tempo na reta final de confronto, Tite ainda recuou para seus suplentes. Em duas mudanças, Bruno Guimarães e Lucas Paquetá entraram nos lugares de Douglas Luiz e Everton Ribeiro, respectivamente, dando a deixa para arbitragem encerrar o jogo em Montevidéu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *