Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Print

Brasil x Senegal fazem amistoso irregular e empatam em Singapura

Enquanto o primeiro tempo de Brasil e Senegal se mostrou mais movimentado, a etapa complementar apresentou grande queda de desempenho
Brasil-Senegal-amistoso-Futebol-Latino-Lance-10-10

Jogando no Estádio Nacional de Singapura nessa quinta-feira (10), o Brasil ficou no empate em 1 a 1 com Senegal diante de seu primeiro jogo amistoso dos dois que a Seleção fará no mês de outubro, gols de Roberto Firmino.

Leia mais: Volta de treinador ao México causa insatisfação de torcedores
Ídolo do River Plate faz avaliação maldosa sobre Carlitos Tevez

Agora, enquanto a Amarelinha se prepara para voltar a campo novamente no país asiático frente a Nigéria no domingo (13), os senegaleses tem como próximo compromisso oficial o duelo contra Guiné pelas Eliminatórias da Copa das Nações Africanas no dia 17 de outubro.

Primeiro tempo

As duas equipes adotaram claramente uma postura de não deixar muitos espaços para que os sistemas criativos do seu adversário fossem dominantes e jogassem com qualquer sensação de “conforto” para a formulação de chances. Mesmo assim, na base da movimentação ofensiva principalmente entre Gabriel Jesus e Roberto Firmino, aos oito minutos o atacante do Manchester City (Inglaterra) recebeu na intermediária e acionou bem o avante do Liverpool (Inglaterra) que esbanjou categoria ao dar uma “cavadinha” de pé direito que encobriu o arqueiro Alfred Gomis. Placar aberto em Singapura.

Depois dos 15 minutos, Senegal parece ter encontrado o melhor equilíbrio no seu posicionamento em campo e, além de boa finalização onde Sadio Mané bateu forte para Éderson defender, a equipe africana frequentava o campo ofensivo aumentando a necessidade de atenção da defesa brasileira.

O Brasil até conseguiu duas boas saídas onde o passe de Neymar saiu forte demais para Philippe Coutinho e Gabriel Jesus tocou pra trás e viu sua bola ser cortada pela defesa senegalesa. Porém, quem balançou as redes antes do intervalo foram os africanos onde, aos 44, Sadio Mané saiu em disparada no lado esquerdo do ataque e foi derrubado dentro da área por Marquinhos, pênalti marcado. Famara Diedhiou foi para bola e bateu com força, cruzado, superando Éderson que acertou o canto, mas não conseguiu chegar.

Antes do intervalo, a vantagem poderia ter voltado para os pés da Seleção com Neymar recebendo na altura da meia-lua após trabalho bem coordenado de Coutinho e Firmino. Entretanto, na batida frente a frente com Gomis, o goleiro foi muito bem ao fechar o ângulo e garantir a igualdade para o intervalo no Estádio Nacional.

Segundo tempo

Assim como no princípio do duelo, o Brasil também conseguiu superioridade numérica no ataque e marcação alta que resultaram em possibilidades importantes de formular jogadas. O que seguia faltando era o acerto no último passe que, tanto para os latinos como para os africanos, proporcionava menos finalizações agudas do que poderiam.

O time comandado pelo ex-jogador também da seleção de Senegal, Aliou Cissé, teve menos eficiência na saída rápida de jogo procurando, principalmente, os avanços rápidos de Mané nas costas de Daniel Alves.

Após os 30 minutos, tanto os brasileiros como os africanos parecem ter encontrado mais facilidade para superar as marcações também se aproveitando do desgaste que a alta temperatura (superior a casa dos 30 graus) promoveu nos atletas. Nesse período, Mané acertou a trave esquerda de Éderson na saída de bola errada de Matheus Henrique e Richarlison, recebendo passe de Neymar, virou já batendo pro gol e viu ela passar bem perto da trave esquerda de Gomis.