Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Cavani desequilibra, Uruguai bate Chile e passa em primeiro no Grupo C

Chile-Uruguai-Copa-America-Futebol-Latino-24-06-1
Foto: Antonio Lacerda/EFE

Edinson Cavani jogou tanto “para o time” que, tendo apenas uma chance clara de marcar frente ao Chile, não desperdiçou e foi vital no triunfo do Uruguai por 1 a 0 em duelo do Grupo C na Copa América. Com isso, os charruas avançam para duelar nas quartas de final contra o Peru no sábado (29) às 16 h (horário de Brasília) enquanto os chilenos farão o embate diante da Colômbia na próxima sexta-feira (28) às 20 h.

Leia mais: Referências do México, Ochoa e Chicharito trocam farpas via rede social
Efetiva, Suécia aproveita sua chance e elimina o Canadá na Copa do Mundo Feminina

Primeiro tempo

O Chile demonstrava claramente que tinha o desejo de controlar a posse de bola e também de fazer com que sua movimentação (dos atletas com e sem a bola) pudesse abrir espaços na bem montada defesa uruguaia.

Por sua vez, os charruas tinham pouco contato com o plano ofensivo e pareciam aguardar apenas jogadas pontuais onde pudessem acionar, na base da ligação direta, os atacantes Luis Suárez e Edinson Cavani.

Se nos primeiros 15 minutos a postura chilena foi dominante, com direito a chutes de fora da área onde um deles, dado por Charles Aránguiz, fez Fernando Muslera trabalhar com boa defesa, após esse período o time de Óscar Tabárez parece ter conseguido encontrar a melhor forma não só de diminuir os espaços do oponente como também de chegar perigosamente ao ataque.

Nesse período, Suárez teve aquela que pode ser considerada a oportunidade mais clara de marcar aos 21 minutos. Depois de se antecipar a defesa do Chile, ele chegou a driblar o arqueiro Gabriel Arias, mas demorou a finalizar e deu tempo para o camisa 1 adversário se recuperar e fazer providencial intervenção.

Segundo tempo

Os dois times voltaram com um nível de vontade acima até mesmo da necessidade de imprimir seu ritmo de jogo, mais voltado a questão da briga por território. Algo que, com o placar de 0 a 0 em curso, favorecia a Roja.

Depois dos 20 minutos e uma sequência de lances “truncados”, com faltas de lado a lado, em cobrança de escanteio ensaiada o cruzamento feito por Óscar Opazo encontrou a cabeçada firme de Paulo Díaz que foi cortada pelo zagueiro José María Giménez em cima da linha.

Após uma pausa na partida com a entrada de um torcedor no gramado, parece que o time charrua teve o tempo que precisava para “esfriar” a cabeça e colocar um de seus matadores em condições ideais para marcar. Com 36 minutos, Suárez recebeu passe na meia-lua e tocou na direção de Nahitán Nández que olhou pra área e mandou com maestria para Cavani testar no extremo canto direito de Arias. Abertura do marcador no Maracanã e festa tremenda dos uruguaios nas arquibancadas.

Depois disso, sobrou experiência e capacidade de administração para que o Uruguai “gastasse tempo” e conduzisse o duelo para o fim que desejava: com vitória e vaga em primeiro lugar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *