Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Print

Chilenos estimam presença bem menor de torcedores diante do Equador

Enquanto número de fãs chilenos no Morumbi teria chegado a 15 mil pessoas na Copa América, na Fonte Nova o número deve ser de 5 mil
chilenos-estimam-presenca-bem-menor-de-torcedores-diante-do-equador-Futebol-Latino-21-06

A torcida do Chile estará presente no jogo dessa sexta-feira (21) às 20 h (horário de Brasília) frente ao Equador na cidade de Salvador pela segunda rodada da Copa América. Entretanto, os números de estimativa são bem mais modestos do que foram na estreia da Roja no 4 a 0 diante do Japão no Morumbi.

Leia mais: Jogador do Benfica aceita proposta do Boca Juniors, informa canal de TV
Mídia da Turquia aponta mexicano como desejo de equipe local

Isso porque os números vindos de uma estimativa do comitê organizador da competição na capital baiana entendem que 5 mil chilenos devem estar na Arena Fonte Nova do público total. Percentual esse que deve ser bem menor em relação ao número de presentes que esteve na primeira partida do selecionado do Chile onde 15 mil dos 22 mil presentes eram fãs vindos do país andino.

A principal justificativa que tem sido levantada para essa queda de presença seria que a grande maioria do contingente presente em São Paulo estaria se planejando para estar no terceiro compromisso da equipe dirigido por Reinaldo Rueda frente ao Uruguai no Rio de Janeiro, mais precisamente no estádio do Maracanã.

Com isso, os custos e tempo de viagem acabariam ficando muito maiores em caso de ida a Salvador e retorno ao Rio do que permanecer na capital paulista e fazer a “Ponte Aérea”. Quem conseguiu evitar preços maiores em razão da proximidade do evento foram apenas aqueles que compraram passagens e hospedagens no Brasil com muita antecipação.

“Nós compramos as passagens com bastante antecipação, quase no fim do ano passado, e isso fez com que poupássemos quase a metade do valor de ter comprado elas nos últimos meses. O mesmo aconteceu com os hotéis. Também subiram muito de última hora, mas nós já tínhamos reservado antes. Comparando com fazer tudo de última hora, facilmente poupamos uns 300 dólares”, disseram Joaquín Aravena e Luis García, chilenos presentes em Salvador.