Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Coluna de José Calil: que semana, hein?

como-serao-definidos-os-times-pendentes-na-libertadores-Futebol-Latino-18-12
Foto: Norberto Duarte/AFP

Gre-Nal é Gre-Nal, não tem jeito. E quarta-feira mais ainda. Com desvantagem de três pontos em relação ao rival, o Grêmio tem que partir pra cima. Se perder, vai se complicar demais na competição, a ponto de depender do próprio Internacional para se classificar. E vai agravar a crise e as contestações ao trabalho de Renato Portaluppi. Considero injustas as cobranças a Renato, mas elas existem. Do outro lado, também a derrota não será aceita. Coudet já é criticado pela queda de produção do time no Campeonato Brasileiro. Será ainda mais. Jogão.

Leia mais: Nome de Cavani foi oferecido ao Real Madrid, garante jornal
Messi se despede de Vidal em rede social: “Voltaremos a nos cruzar”

E o São Paulo??? Está entre o céu e o inferno. Pode terminar a rodada como líder ou lanterna. De qualquer forma, terá que buscar pontos fora de casa. E é bom começar amanhã. O time não vem jogando bem. Isso preocupa. Daniel Alves, que poderia dar o equilíbrio que os mais jovens precisam, ainda não volta. Outra preocupação.

Preocupações também não faltam no Flamengo. Time jogando mal, climão pela goleada sofrida, técnico ameaçado e, agora, uma enxurrada de casos de Covid. Jogadores que ganharam tudo nos últimos meses hoje parecem acomodados. A pontuação é boa, mas, se perder de novo, vai embolar tudo. Tenso.

O Palmeiras tá sossegado. Deu sorte ao cair no grupo mais fácil dessa Libertadores e tem 100% de aproveitamento. Agora, é só saber em que colocação vai ficar ao final da primeira fase. Dá até para poupar atletas. Tranquilo.



O empate na Vila Belmiro contra o Olimpia fez com que o Santos tivesse que se preocupar com o jogo de quarta-feira entre a equipe paraguaia e o Defensa y Justícia. Caso os argentinos, que jogam em casa, vençam, o Santos nem poderá pensar em perder para o Delfin, quinta, no Equador. Por outro lado, se o Olimpia vencer, praticamente definirá a sua classificação e levará o time brasileiro junto. O maior problema do Santos continua sendo ele mesmo e suas intermináveis crises política, financeira e administrativa. Imprevisível.

Já o Athletico está com a faca e o queijo nas mãos. Arrancou uma bela vitória na altitude de Cochabamba e agora tem tudo para vencer o Colo-Colo e abrir os caminhos da felicidade. Deveria, ainda, pensar em trazer um técnico mais experiente para os momentos decisivos que virão. Reforços estão chegando. Promete.

A semana tem tudo para ser inesquecível. Grandes jogos estão por vir. E sem VAR. Bola balançou a rede, juiz e bandeirinha correram para o meio do campo, pode comemorar que é gol.

1 comentário em “Coluna de José Calil: que semana, hein?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *