Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Print

Com boa atuação, Rhayner contribui para goleada na J-League

Atacante brasileiro Rhayner ajudou seu time, o Sanfrecce Hiroshima (Japão), a seguir vivo na disputa do título nacional que não conquista desde 2015
Atacante brasileiro Rhayner ajudou seu time, o Sanfrecce Hiroshima (Japão), a seguir vivo na disputa do título nacional que não conquista desde 2015
com-boa-atuacao-rhayner-contribui-para-goleada-na-j-league

Com participação decisiva no gol que, mediante as circunstâncias, praticamente selou a vitória no campeonato japonês do Sanfrecce Hiroshima (Japão) sobre o Vissel Kobe por 6 a 2 na manhã do último sábado (5), o atacante brasileiro Rhayner teve mais uma atuação destacada com a camisa do clube nipônico.

Leia mais: Saiba como e onde assistir a final Sampaio Corrêa x Náutico
Jovem talento latino comemora convocação para enfrentar a Argentina

Jogando como ala, o ex-atleta do Fluminense não deixou brechas na defesa e foi bastante atuante nas descidas ao ataque. Não à toa o camisa 44 comentou o seu desempenho individual no confronto classificando como uma das melhores na temporada:

“Foi uma das melhores partidas que realizei nesta temporada. O Vissel não conseguiu explorar o meu lado e ainda tive boa participação nas jogadas de ataque. Ter roubado a bola na origem do quarto gol, quando vencíamos apenas por três a dois, foi fundamental para marcarmos, termos mais tranquilidade e construirmos a goleada.”

Agora na quarta posição, o Hiroshima voltou a cogitar a conquista da J-League, especialmente depois da derrota do líder Tokyo FC para o antepenúltimo colocado, Sagan Tosu, também neste sábado.

Apesar dos resultados terem ajudado, Rhayner admite que após esta rodada o quadro ficou bem mais favorável, mas prefere adotar um tom mais: cuidadoso quanto às possibilidades de título de sua equipe:

“Restam seis rodadas a serem disputadas e estamos a seis pontos do líder. Não será simples superar essas três equipes, mas a matemática nos permite sonhar. Enfrentaremos uma delas, o Kashima e ainda haverá um confronto direto entre Yokohama e Tokyo na última rodada. Fácil sabemos que não será, mas brigaremos por esta taça até o fim.”