Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Print

Confira retrospecto do Estudiantes em duelos decisivos contra brasileiros pela Libertadores

Foto: Divulgação/Estudiantes

*Por Danilo Di Grado

Cotado como um dos favoritos ao título da atual edição da CONMEBOL Libertadores, o Estudiantes chega com moral às oitavas de final em busca de levantar a taça mais desejada pelas equipes sul-americanas.

BANNER ODDS SHARK INTERNO 03-06-2022Leia Mais: Sebastián Beccacece toma decisão sobre o seu futuro; confira
Irmão de Richarlison dá primeiros passos como jogador em Dubai

Porém o retrospecto do clube argentino contra brasileiros é de muita instabilidade. Voltando um pouco no tempo, em 1968, teve o Palmeiras pela frente na grande decisão. E levou a melhor. No primeiro jogo, venceu o Verdão por 2 a 1, mas acabou perdendo o segundo pelo placar de 3 a 1, levando para o jogo desempate, onde voltou a bater o adversário, desta vez por 2 a 0, sendo campeão do torneio.

Com uma fórmula diferente de disputada no ano de 1983, as semifinais foram disputadas em sistema de grupos, cada um com três times. Além de ficar na mesma chave que o América de Cali, o Grêmio também acabou entrando no caminho. Diante dos brasileiros, perdeu o primeiro jogo por 2 a 1, empatando o segundo em 3 a 3, ficando em 2º lugar, porém como apenas os líderes avançavam, no caso com a vaga acabou ficando com o Tricolor.

Anos mais tarde, em 2006, também em uma fase de oitavas de final, adversário da vez foi o Goiás. Mas as coisas não foram fáceis para o El León. Apesar de vencer o jogo de ida por 2 a 0, viu o Esmeraldino fazer 3 a 1 no Serra Dourada, porém, pelo critério do gol marcado fora de casa, avançou para as quartas. Na sequência, voltou a duelas contra o time do Brasil, sendo o São Paulo na ocasião. Não muito diferente de como foi contra os goianos, encontrou muita dificuldade. Na partida de ida, derrotou o Tricolor por 1 a 0, mas acabou levando o troco na volta ao ser derrotado pelo mesmo placar, levando a decisão para os pênaltis. Nas cobranças, o clube da capital paulista foi melhor fazendo 4 a 3.

Disposto a dar a volta por cima, em 2009 a história foi diferente. Voltou a ser finalista da competição continental, encarou o Cruzeiro na grande final. Apesar do empate em 0 a 0 na ida, apostou suas fichas em tentar surpreender a Raposa na volta, em pleno Mineirão. E conseguiu. Com o placar de 2 a 1, garantiu assim seu quarto título.

No ano seguinte, em 2010, o rival foi o Internacional, nas quartas. Após perder o jogo de ida por 1 a 0, bateu o Colorado na volta por 2 a 1, mas por conta do critério do gol fora de casa, o time gaúcho foi quem avançou na época.

Um pouco mais recente, em 2018, voltou a ter um brasileiro pela frente, sendo ele um velho conhecido: o Grêmio. Querendo dar o troco em 1983, derrotou o Imortal na ida por 2 a 1, mas foi derrotado na volta pelo mesmo placar. Nas penalidades, o clube de Porto Alegre levou a melhor por 5 a 3.

Agora em 2022 terá o Fortaleza como adversário. O primeiro jogo será disputado na próxima quinta-feira (30), na Arena Castelão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Futebol Latino sabe que a alegria do esporte bretão do continente americano é bem mais do que Brasil, Argentina e Uruguai. Isso porque o amante da bola quer mesmo é saber de tudo, desde a final do Brasileirão até a 5a rodada do Peruano, com a mesma seriedade e com a mesma paixão. Leia Mais

Entre em contato conosco: comercial@futebolatino.com.br

© Futebol Latino - Todos os Direitos Reservados - 2021

error: Futebol Latino 2019