Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Conmebol pede documentos a Federação Equatoriana sobre caso de identidade falsa

Foto: Divulgação/LDU

O caso envolvendo a revelação tão preocupante quanto bombástica no fim do último mês de maio em relação ao equatoriano Ángel Cheme e a utilização de identidade falsa terá uma apuração mais detalhada da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).

Leia mais: Empresário de Rafael Borré fala sobre o futuro do atacante
Mais uma liga da América do Sul marca o retorno do futebol

Como o jogador de 38 anos de idade que atuou na última temporada no modesto Pelileo afirmou que chegou a disputar a edição da Copa Sul-Americana de 2010 pela LDU com o documento adulterado (modificando o seu nome para Gonzalo Chila e também reduzindo sua idade em três anos), a entidade sul-americana solicitou documentos do atleta a Federação Equatoriana de Futebol (FEF) com prazo até o próximo dia 11 de junho.




Segundo apurou o portal equatoriano El Universo, a ideia da Unidade Disciplinar da Conmebol é fazer uma avaliação calcada em três pontos básicos que priorizam em entender a responsabilidade da entidade máxima do futebol no Equador na situação:

– A ciência da FEF sobre a falsificação documental antes da inscrição de Ángel Chema no papel de Gonzalo Chila na Recopa de 2010;

– A possibilidade de suspeita sobre a falsificação documental de Ángel Chema no papel de Gonzalo Chila;

– O respeito aos regulamentos da FEF para inscrever Ángel Chema no papel de Gonzalo Chila na LDU em 2009 para a Copa Sul-Americana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Futebol Latino 2019