Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Print

Dominante! EUA ganha da Holanda e fatura o tetra na Copa do Mundo Feminina

Sempre com atitude mais ofensiva, a equipe dos Estados Unidos chegou a taça da Copa do Mundo Feminina com gols de Megan Rapinoe e Rose Lavelle
dominante-eua-ganha-da-holanda-e-fatura-o-tetra-na-copa-do-mundo-feminina-Futebol-Latino-1-07-07

A Copa do Mundo Feminina na França consagrou a equipe que chegou a um número histórico. Diante da estreante em decisões Holanda no Parc Olympique Lyonnais em Lyon, na França, a seleção dos Estados Unidos venceu por 2 a 0 e chegou ao seu quarto título mundial, se solidificando como a maior vencedora da competição.

Leia mais: Segundona uruguaia passa a ter dois líderes
Universitario consegue classificação às oitavas da Copa Bicentenario

Primeiro tempo

O início de confronto teve as norte-americanas com um maior domínio territorial e até mesmo em ações ofensivas. Porém, apenas em chute cruzado da meio-campista Rose Lavelle já aos 16 minutos e em batida forte de Julie Ertz, aos 27, o gol da arqueira van Veenendaal foi efetivamente ameaçado, mostrando uma postura holandesa de maior prioridade a segurança na retaguarda.

Por sua vez, a equipe europeia tentava explorar as linhas mais avançadas dos Estados Unidos acionando, principalmente, a velocidade e agilidade nas infiltrações da atacante Lineth Beerensteyn.

Já no terço final da primeira etapa, as estadunidenses aumentaram consideravelmente o ritmo chegaram de maneira mais aguda explorando os lados de campo onde as atacantes Megan Rapinoe e Alex Morgan (duas vezes) conseguiram antecipar a marcação holandesa. Porém, em todas, Veenendaal apareceu providencialmente fazendo defesas incríveis que garantiam, até então, a meta da Laranja Mecânica intacta.

Pouco antes do intervalo, uma cobrança de escanteio já nos acréscimos vinda do lado esquerdo do ataque chegou a criar “confusão” na área norte-americana, mas o bate-rebate resultou em bola afastada pela zaga e fim de papo no primeiro tempo sem gols.

Segundo tempo

Começando o segundo tempo de maneira semelhante ao tempo inicial, as chegadas dos Estados Unidos eram mais constantes que a potência ofensiva da Holanda.

A recompensa por essa constância veio aos 12 minutos quando, em bola cruzada com desvio da zaga europeia, Morgan recebeu um chute da zagueira Stephanie van der Gragt dentro da grande área e a arbitragem, após consulta ao VAR, marcou pênalti. Na cobrança, a experiência e qualidade de Rapinoe foram traduzidas em uma batida chapada, deslocando totalmente van Veenendaal e abrindo a conta na França.

O time holandês passou a sair mais e chegou a formular um grande momento à frente quando Vivianne Miedema saiu em disparada e precisou ser bloqueada por três defensoras dos EUA para evitarem a finalização. Se de um lado não teve chute, Lavelle fez o inverso em escapada do ataque do US Team e, percebendo o espaço, bateu com firmeza de perna esquerda e estufou as redes da Holanda com 24 minutos, 2 a 0 Estados Unidos.

O moral da equipe norte-americana cresceu proporcionalmente a queda no emocional do time holandês, algo que ficou latente com o volume de jogo que proporcionaram várias chances das comandadas de Jill Ellis praticamente sacramentarem a conquista. Porém, a zaga europeia e a goleira Veenendaal se reabilitaram a tempo de evitar tal situação.

Nos minutos finais, o trabalho do US Team sempre foi voltado a seguir atacando e, mantendo as holandesas mais longe de sua meta, se aproximando da conquista confirmada no apito final da árbitra francesa Stephanie Frappart.