Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Especialista analisa pressão na final entre Flamengo x River

Duelo no Monumental de Lima marca o encontro do atual campeão da Liberta contra um time que não vive o momento desde o início da década de 80
libertadores-mercosul-supercopa-o-historico-de-river-plate-x-flamengo-Futebol-Latino-24-10

Depois de 38 anos, o Flamengo pode conquistar o bicampeonato da Copa Libertadores. No duelo contra o time mais vitorioso do continente, o River Plate, o Fla se prepara para igualar o feito de Zico em 1981, em uma temporada eletrizante sobre o comando do técnico português Jorge Jesus.

Leia Mais: Prováveis times de Flamengo e River Plate para a decisão da Libertadores
Olimpia x Cerro Porteño coloca, frente a frente, goleadores históricos

Neste sábado (23) de final única, no Monumental de Lima, no Peru, o Rubro-Negro precisará de muita concentração para superar o estilo de jogo dos argentinos, promovido por Marcelo Gallardo, e se livrar de qualquer “catimba” dos hermanos.

Especialista em análise comportamental e coach, Amanda Ciaramicoli, analisa a postura das duas equipes para a decisão e ressalta a importância do treinamento mental para uma performance de excelência dentro de campo.

“A concentração é um dos fatores fundamentais nesta final. Para o Flamengo, depois de tantos anos fora da decisão da competição, isso pode ser um dos fatores de ansiedade nos atletas . E é um ponto de atenção, pois isso pode determinar o título”, explicou.

“Quando os atletas olham para o adversário, devem entender que o adversário mais perigoso que existe são eles mesmos. Isso porque sabem exatamente onde está o ponto fraco do rival, qual fundamento deveria ter treinado mais, o que poderia ser feito de diferente…Em resumo é se a mente não está fortalecida, tudo pode ir por água abaixo”.

Com histórico de confusões entre argentinos e brasileiros em competições sul-americanas, Ciaramicoli também alerta como não entrar na pilha do rival.

“Esse tipo de situação requer uma força mental muito grande, pois o adversário tende a saber qual ponto pode tirar a concentração da equipe que enfrenta. Ou seja, sabe qual provocação pode surtir efeito para desestabilizar a partida. A dica é entrar em campo, executar o que sabe, anular qualquer pensamento disfuncional de julgamento interno e não cair na pressão”, finalizou.

Flamengo e River Plata se enfrentam neste sábado, a partir das 17h (de Brasília), em Lima.

error: Futebol Latino 2019