Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Gringos no Brasil: Guiñazú, a raça argentina em campos brasileiros

Jogador, recém-aposentado, fez história atuando em gigantes do futebol como Internacional e Vasco da Gama

*Por Danilo Di Grado

Pablo Horacio Guiñazú, ou, mais conhecido como Guiñazú, nasceu em General Cabrera, na província de Córdoba, na Argentina, no ano de 1978.

Leia Mais: Clausura Peruano: Alianza Lima tropeça e pode perder a ponta do campeonato
Venezuelano: Em jogo isolado, Táchira confirma melhor campanha da fase de classificação

Entre alguns clubes que atuou quando iniciou sua carreira, o Newell’s Old Boys foi onde o atleta deu seus primeiros passos como jogador profissional, em 1996 até meados de 2000.

Em seguida, o volante aventurou-se pela Europa, jogando pelo Perugia entre 2000 e 2001. No entanto, retornou para seu país natal jogando duas temporadas pelo Independiente, até seu retorno ao Newell’s, em 2003.

Já com uma certa experiência internacional, no decorrer de sua carreira Guiñazú ainda teve passagens por outros países, em clubes como Saturn (RUS), além do Libertad (PAR), até ser visado por clubes no Brasil.

E a aventura do jogador em terras brasileiras iniciou-se em 2007, quando o mesmo assinou com o Internacional. Entre 2007 a 2012, conquistou o respeito dos companheiros do Colorado, além da admiração por parte dos torcedores, que viam em Guiñazú, toda sua força e raça em campo nas partidas.

Entre alguns títulos importantes, o argentino acumulou em sua passagem pelo clube de Porto Alegre, 4 títulos do campeonato Gaúcho (2008, 2009, 2011 e 2012), uma Copa Dubai (2008), uma Copa Sul-Americana (2008), uma Copa Suruga (2009), além de uma Recopa Sul-Americana (2011).

Somente com esse currículo, o volante já havia gravado seu nome na história do time, porém, o destino lhe proporcionou uma de suas maiores conquistas em 2010, ao chegar no topo da América. Sem dúvida alguma, a taça da CONMEBOL Libertadores foi um de seus maiores feitos durante sua passagem pelo time do Beira-Rio. Porém, no mesmo ano, amargou a derrota no Mundial de Clubes para o Mazembe, ficando fora da decisão do torneio.





Com uma longa passagem pelo Inter, Guiñazú acabou deixando o clube e acertando seu retorno ao Libertad, isso em 2013. Em sua despedida, o atleta, na época, revelou que foi o dia mais difícil de sua vida, tamanha identificação que criou com o Colorado.

No entanto, a passagem do jogador em terras paraguaias durou pouco tempo, quando o mesmo acertou seu retorno ao Brasil, ainda em 2013, desta vez para atuar pelo Vasco da Gama. Já famoso no país por sua determinação nos jogos, a torcida da equipe carioca, sem dúvida, esperava a mesma postura do volante.

Porém, não tendo sorte no início, lesionou-se e seu retorno ficou para o ano seguinte (2014). Na temporada, Guiñazú conseguiu levar o Vasco ao vice do Campeonato Carioca, porém, sendo campeão do mesmo torneio em 2015.

Após sua saída do clube do Rio de Janeiro, o argentino, já próximo de deixar os campos, ainda atuou pelo Talleres quando assinou contrato em 2016, jogando até 2019, quando aposentou-se em março deste ano. Hoje, o que fica é seu nome gravado na história das equipes brasileiras, por sua grande dedicação no esporte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Futebol Latino 2019