Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Jornal espanhol relembra histórias e declarações polêmicas de Romário

Atacante que marcou seu nome na história do futebol mundial passou por duas equipes do país europeu: Barcelona (1993 a 1995) e Valencia (1997 a 1999)
jornal-espanhol-relembra-historias-e-declaracoes-polemicas-de-romario-Futebol-Latino-25-03

Em tempos onde o futebol está paralisado em praticamente todo o planeta, o diário espanhol Marca tem veiculado histórias que não havia publicado sobre os bastidores de clubes espanhóis além de reviver alguns personagens marcantes que passaram pelo futebol do país como, por exemplo, Romário.

Leia mais: Como ficou o Dorados de Sinaloa após a saída de Maradona?
Atacante relembra o dia que por muito pouco não agrediu Jorge Sampaoli

O ex-jogador e hoje senador pelo Rio de Janeiro filiado ao partido Podemos sempre foi caracterizado por sua grande habilidade de conclusão tão precisa quanto seus comentários que rendiam largas discussões sobre sua personalidade. Algo que, evidentemente, foi a temática central das “memórias” resgatadas pelo veículo europeu.

Na parte futebolística, foi trazido a tona frases que ele disse no período em que defendeu o PSV, da Holanda, quando chegou a dizer que “O PSV depende de mim, todos sabem que a equipe não tem condições para jogar sem o Romário”. Outro ponto citado foi a sua contagem não-oficial sobre a marcação de 1000 gols na carreira ressaltando que a Fifa jamais reconheceu o feito.

Além disso, seus momentos no Barcelona e no Valencia não foram deixados de lado, relembrando a curiosa história onde o na época técnico holândes Johan Cruyff e ele fizeram um combinado em que ele teria dois dias a mais para aproveitar o carnaval do Rio de Janeiro caso fizesse dois gols na partida seguinte a conversa (algo que aconteceu) e o atrito com o treinador Luis Aragonés na sua passagem pelas Astúrias. Na oportunidade, o técnico do Valencia teria reclamado com ele do seu “apreço” pela vida noturna.



“Uma vez, ele (Romário) veio me perguntar se poderia faltar a dois dias de treinos para voltar ao Brasil. Deveria ser carnaval no Rio de Janeiro. Eu respondi: ‘se você fizer dois gols amanhã, te dou dois dias a mais de descanso que o restante da equipe’. No dia seguinte, ele marcou seu segundo gol com 20 minutos de jogo e imediatamente fez um gesto para mim pedindo para sair. Ele me disse: ‘Treinador, meu avião sai em menos de uma hora”, disse o próprio Cryuff em entrevista ao jornal L’Equipe em 2012.

“Saí (para a noite) na quinta-feira e sairei hoje, quem não gostar que se f… . Os companheiros que se f…, pois a eles não tenho que dar explicações”, afirmou o Baixinho na época.

O periódico espanhol também passou por questões mais delicadas na vida do hoje político como seus problemas com justiça relacionados a débito de pensão alimentícia e também o crime de evasão fiscal. Enquanto no primeiro delito Romário chegou a passar uma noite detido, no segundo ele chegou a ser condenado a três anos e meio de prisão além de ter de pagar uma multa no valor de R$ 1,7 milhão.

Confira outras frases marcantes do Baixinho:

“Sou cem por cento infiel. Me defino como um mulherengo e, no meu apogeu de promiscuidade, cheguei a estar com três mulheres no mesmo dia.”

“Tenho só 22 anos, estou convencido de que também acabarei marcando 1000 gols.”

“Na Holanda, para você tomar algo com um amigo, você tem que ligar três dias antes marcando na agenda.”

“Atacante? Nunca haverá na história um melhor (que Romário). Ficará sendo eu para o resto da eternidade.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Futebol Latino 2019