Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Lugano relembra quando foi procurado por times argentinos e brinca: ‘Duraria dois dias’

Lugano
Foto: Divulgação/saopaulofc.net

* Por Roberto Junior 

Lugano abriu o coração em uma longa entrevista ao jornal “Ovación”, do Uruguai, onde relembrou episódios da carreira e opinou sobre momento atual do futebol. No bate-papo, o ‘Dios‘ resgatou quando teve conversas para jogar na Argentina.

OS_BRAZIL_300x250_2020_Q3_SOC

Leia mais
Ídolo do São Paulo se arrepende de saída do Real Madrid, e aconselha Vinícius Júnior

Apesar de não revelar o time que o procurou, Lugano puxou na memória uma história engraçada em que um grande personagem do futebol o contatou para jogar no time, mas depois aconselhou ele a não ir para a Argentina.

“Uma vez me telefonou um diretor esportivo de um grande time da Argentina, não vou dar o nome, mas ele era um grande jogador e técnico, e queria me levar. ‘Aqui você vai ser um ídolo com a sua personalidade, temos muitos jovens e você é uma referência, pa, pa, pa, pa…’. Eu falei para ele: ‘Não, já estou com 34 anos, não tenho paciência para cuidar de tudo…’. Mas ele insistiu. E eu conheço a idiossincrasia: quando você vai experiente, tem que cuidar de tudo, e se você não tem nome no clube fica muito difícil pra você, os babacas estão cada vez mais soltos, dois torcedores vêm até você e você tem que pegar eles nos tapas”, disse Lugano.

“E (o dirigente) repetia: ‘Tem certeza que não quer vir, certo? Bem, então não estou falando com você como diretor, mas como ex-jogador: ‘Nunca venha para a Argentina, que é dor de cabeça'”, relembrou o ex-zagueiro.

“E no Uruguai é o mesmo, a menos que você tenha uma história que o defenda lá, como Tevez, ou Verón no Estudiantes. Eu na Argentina teria durado dois dias em qualquer time”, brincou o dirigente do São Paulo.

Lugano ainda admitiu que os quatro principais clubes da Argentina lhe procuraram quando estava prestes a voltar ao São Paulo.

“Quando voltei da Europa, quatro grandes da Argentina me procuraram. Foi uma decisão minha voltar para o Brasil. Iniciei aqui e vou terminar aqui. Argentina é muito bom para ir quando se é jovem e quer fazer seu caminho. Depois de experiente eu ia ser mais problema do que desfrutar. Eu me conheço”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *