Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Meia com passagem pelo Vasco fala sobre futebol em destino turístico

Meio-campista brasileiro Arthur Faria está na segunda temporada atuando em Malta, dessa vez defendendo a equipe do Balzan FC
meia-com-passagem-pelo-vasco-fala-sobre-futebol-em-destino-turistico-Futebol-Latino-13-02

O meio-campista brasileiro Arthur Faria, de 28 anos, atualmente defende o Balzan FC, time que atua na primeira divisão do país. Contudo, a passagem do atleta pelo futebol maltês não é sua primeira experiência na ilha que é um dos principais destinos turísticos da Europa já que ele atuou também pelo Hamrun Spartans.

Leia mais: Lautaro Martínez analisa interesse do Real Madrid, afirma jornal espanhol
Montillo lamenta queda da Universidad de Chile na Libertadores

Pela experiência que tem conseguido acumular no destino um tanto quanto inusitado quando o assunto é futebol, Arthur falou sobre a relação dos moradores com o esporte:

“O futebol é uma paixão local e vem crescendo todos os anos, tanto em termos de estrutura e nível de qualidade, quanto de competitividade. Um reflexo disso é a presença de vários jogadores estrangeiros, inclusive brasileiros, nos times de Malta. Claro que ainda têm coisas que ainda precisam ser melhoradas, mas acredito que esse é o caminho certo para isso”, explicou o meia.

O Balzan FC ocupa a sétima colocação da Primeira Liga de Malta. Após 17 partidas disputadas, o clube acumula 22 pontos. O jogador, que tem em seu currículo passagem pelas categorias de base do Vasco, comentou o desempenho do time na atual temporada.

“O desempenho não está sendo como esperávamos, até pela estrutura que o clube nos proporciona e pelos jogadores que aqui estão. Na Liga estamos abaixo do que desejamos e do que todos esperavam, mas seguimos na Copa de Malta, em que o Balzan é o atual campeão e vamos lutar para manter esse título conosco”, afirmou.

O clube que Arthur defende a camisa é o atual campeão da Copa de Malta, conquista que creditou o clube a disputar as fase preliminares da Europa League, uma das principais competições continentais do mundo. Com isso, ele comentou sobre a experiência dele com o clube e a sensação de ter disputado aquela que é considerada o segundo torneio mais importante do continente:

“Um dos motivos de ter voltado para o país foi o fato de defender o Balzan, um clube correto e que sem dúvidas, hoje está entre os melhores país. Eles me proporcionaram a oportunidade de jogar uma qualificação para Europa league, além da boa estrutura, que permite o desenvolvimento de um bom trabalho.”

O conjunto de Ilhas tem uma área de apenas 246 km² e é, definitivamente, um local que se destaca pelo seu forte turismo. É muito conhecida por exemplo, pelo intercâmbio de estudantes. Porém, trata-se também de um lugar com uma ” boa qualidade de vida”, como contou o jogador, que falou também sobre a adaptação para ser atleta profissional de futebol em Malta:

“A qualidade de vida é incrível, é um país muito bonito, com vários pontos turísticos que atraem várias pessoas. A minha esposa e meu filho moram comigo, quando não estou com o clube, aproveito pra ficar com minha família e desfrutar dos muitos lugares bonitos que Malta oferece. Sobre adaptação, aqui falam oficialmente inglês e maltês, quando cheguei não falava muito bem inglês e tive um pouco de dificuldade. Na direção a mão é inglesa, e em relação ao futebol, aqui usam bastante bola longa. Foram coisas que demorei um pouco mais a me acostumar, mas tudo deu certo.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Futebol Latino 2019