Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Olimpia fala em “reprogramação” salarial e prejuízo acima de R$ 15 milhões

olimpia-fala-em-reprogramacao-salarial-e-prejuizo-acima-de-r-15-milhoes-Futebol-Latino-01-04
Foto: Reprodução/YouTube ADEC

Tendo se destacado nos últimos meses por objetivos ambiciosos que começaram a ser colocados em prática com a chegada do atacante togolês Emmanuel Adebayor, o Olimpia também sofre com os problemas financeiros que a paralisação do futebol por conta do Covid-19 vem trazendo.

Leia mais: La Liga recorda golaço de Riquelme em clássico pelo Villarreal
Vidal e Gary Medel se unem em campanha para arrecadação de fundos

Segundo declaração a rádio paraguaia 730 AM do tesoureiro do clube, Miguel Brunotte, apesar de todos os problemas apresentados até o momento, o clube não tem pensado em fazer redução dos vencimentos, mas sim o que foi chamado de “reprogramação” dando a entender que o cronograma de pagamento será alterado.

“O tema de redução de salários não está em nossos planos. Reprogramação sim, mas redução não”, cravou o dirigente.

Brunotte também frisou o impacto que a pausa teve nas iniciativas pensadas para a potencialização do programa de sócios-torcedores. Medidas essas que, na época da chegada de Adebayor, fizeram o clube dobrar o número total de adeptos aos planos.



“Isso (paralisação) é mortal para a campanha de captação dos sócios que estávamos tendo, porque há outras prioridades. Calculamos que vamos ter uma queda importante no mês de abril. A nossa estimativa de perda com a parada é de aproximadamente 3 milhões de dólares (em torno de R$ 15,2 milhões). O plano que temos é priorizar os salários”, agregou Miguel.

O dirigente do Decano não se furtou de projetar, mesmo que de maneira ainda primária, o retorno das competições e o papel das detentoras dos direitos de transmissão nesse cenário:

“Aqui não temos absolutamente nada definido, não temos claro o cenário e temos que começar a colocar uma data e analisar para ver se o país nos dará condições para retomar. Deveríamos todos juntos pensar em um plano geral de reativação da economia e, dentro desse sistema, também entra o futebol. Começar o futebol em maio, com portões fechados, pode ser uma boa decisão. Deveria ter um sistema de compensação para os clubes que deveria vir por parte da televisão.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Futebol Latino 2019