Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Pela Libertadores, River Plate trucida Binacional no Monumental de Nuñez

Jogando sem público no Monumental de Núñez pelo Grupo D da Libertadores, o River Plate se aproveitou da notória fragilidade do Binacional e aplicou uma estrondosa goleada pelo placar de 8 a 0 marcando seus primeiros três pontos no torneio continental e abrindo uma larga margem de saldo.

Leia mais: Presidente da Federação Venezuelana de Futebol renuncia ao cargo
Defensor anuncia a chegada de zagueiro do Tucumán

Primeiro tempo

O grande adversário do River desde o início da partida parecia ser muito mais o gramado encharcado do que necessariamente a recuada equipe peruana. Parecia só haver espaço para a absoluta pressão do Millonario mesmo com todas as dificuldades de acelerar a partida onde, além de lance incrível com o atacante colombiano Santos Borré saindo cara a cara com o goleiro Raúl Fernández e batendo pra fora, uma penalidade foi marcada dando a entender que finalmente o gol sairia.

Aos 13, Nacho Fernández antecipou-se ao carrinho que o zagueiro do Binacional deu na grande área e foi derrubado. Na batida, Fernández acertou o canto onde Nicolás de la Cruz chutou e fez uma importante defesa para segurar o zero no marcador em Buenos Aires.

O domínio territorial e em oportunidades criadas por parte da equipe de Marcelo Gallardo seguia acuando os peruanos e chegou a oferecer novamente aos riveristas a oportunidade de marcar em outro pênalti sofrido, dessa vez cometido por Eder Fernández em Matías Suárez. Contudo, Nacho Fernández encheu o pé para ver a bola estremecer o travessão adversário.

De tanto persistir, o River Plate “furou” a barreira adversária aos 37 com o lateral-esquerdo Milton Casco invadindo a grande área e, depois de driblar seu marcador, bateu de pé direito bola que foi na mão de Fernández e entrou mansa na meta peruana.



Segundo tempo

O Binacional até voltou com uma postura ligeiramente mais disposta a atacar e, com isso, acabou também naturalmente se expondo de maneira onde o River, na base da habilidade, ampliou a sua dianteira já aos nove minutos.

Depois de boa enfiada de bola no lado esquerdo do ataque onde Matías Suárez limpou o goleiro Raúl Fernández, o chute cruzado teve Borré chegando de carrinho para completar as redes.

Mal houve tempo para a equipe de Juliaca se recuperar do segundo golpe pois, quatro minutos depois, o meia colombiano Carrascal recebeu a sua primeira bola em condições de finalizar após substituir De La Cruz e bateu cruzado de perna esquerda para fazer o terceiro dos riveristas.

Depois disso, a partida passou a converter de maneira mais próxima a diferença na questão técnica em gols.

Aos 28, Nacho Fernández fez o quarto de peixinho, aos 33 o zagueiro Robert Rojas ganhou da defesa do Binacional e marcou o quinto, com 35 minutos o zagueiro Paulo Díaz invadiu a área e encheu o pé para estufar as redes no sexto além de Matías Suárez e novamente Nacho Fernández, com 42 e 46 minutos, completarem a impiedosa goleada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Futebol Latino 2019