Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Sul-Americana: Caracas e Vasco empatam sem gols e Cruzmaltino passa de fase

Caracas-Vasco-Copa-Sul-Americana-Futebol-Latino-04-11
Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Atuando na capital homônima da Venezuela, Caracas e Vasco definiram uma vaga nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Como o marcador terminou 0 a 0, prevaleceu o 1 a 0 vascaíno na ida e a equipe brasileira continua viva na competição continental onde duelará na etapa seguinte com o Defensa y Justicia.

OS_BRAZIL_300x250_2020_Q2_SOC

Leia mais: São Paulo consegue virada homérica, mas toma gol no fim e cai diante do Lanús
Olha a Zebra! River Plate-URU elimina o Atlético Nacional na Sul-Americana
Defensa y Justicia segura empate com o Luqueño e avança

Primeiro tempo

Depois de um princípio de partida um tanto quanto mais morno, o Vasco foi, aos poucos, trabalhando por mais tempo a bola no ataque e chegou a abrir a contagem quando Tiago Reis testou no canto direito do arqueiro Beycker Velásquez. Todavia, rapidamente a arbitragem anulou apontando impedimento do atacante vascaíno.

O tento pareceu servir para “acordar” a equipe da casa que chegou a ser mais dominante em posse ofensiva, tentando fazer o gol que igualaria a eliminatória de maneira absoluta. Mas, na hora do passe decisivo que abriria os espaços de finalização ao Caracas, os comandados de Noel Sanvicente erravam bastante e pouco ameaçavam a meta defendida por Fernando Miguel.

Com isso, o compromisso na capital da Venezuela teve como oportunidades mais claras de marcar em duas batidas do Vasco. Em uma delas, Martín Benítez bateu tentando surpreender Velásquez que quase soltou a bola contra sua própria meta e, na outra, o passe em profundidade dado para Carlinhos que chutou rasteiro e o goleiro do time da casa botou pela linha de fundo.

Segundo tempo

Diferente do que ocorria na etapa inicial, o Caracas voltou tendo maior posse, porém tendo precisão na hora de encontrar os espaços para formular oportunidades de perigo. Foi nessa tônica que os Diablos Rojos chegaram em duas vezes com muito perigo na bola áerea onde Robert Hernández e Blanco cabecearam para defesas espetaculares feitas por Fernando Miguel.

Todavia, no período em que os anfitriões pareciam na rota de crescimento em busca do placar de igualdade, o zagueiro Rosmel Villanueva fez falta em Carlinhos já tendo cartão amarelo e levou a segunda advertência que resultou na sua expulsão. Duro golpe para os venezuelanos na questão de capacidade de dominar territorialmente a partida como fazia.

Dentro desse contexto, o Vasco foi mais capaz de reter a posse de bola e, com isso, administrar melhor a vantagem no agregado que lhe colocou na etapa seguinte da competição continental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *