Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no print
Print

Titular na Seleção, Danilo comemora “parceria” com grande amigo

Lateral-direito atualmente na Juventus (Itália) irá relembrar os tempos de Santos, Porto (Portugal) e também Juve jogando com Alex Sandro no lado esquerdo
titular-no-proximo-jogo-danilo-comemora-parceria-com-grande-amigo-Futebol-Latino-14-11

O futebol e as voltas que ele dá permite que os atletas constantemente se reencontrem em outros clubes ou mesmo na seleção de seus países, caso que provavelmente acontecerá novamente na próxima sexta-feira (15) no amistoso entre Brasil e Argentina com Danilo em uma lateral e Alex Sandro na outra.

Leia mais: Argentina x Uruguai tem manifestação palestina para ser cancelado
“É como se Deus estivesse me pedindo a conta”, diz Pelé sobre saúde

Jogadores que foram titulares nos tempos de Santos juntos com Neymar, Ganso e companhia, Danilo confessou em entrevista ao portal Globo Esporte que possui uma grande amizade com o jogador onde atuou, além da equipe brasileira, no Porto (Portugal) e atualmente com a camisa da Juventus (Itália).

“A gente chegou no Santos praticamente na mesma época, em momentos bem parecidos de vida, com 18 anos, numa equipe jovem e acabamos nos reconhecendo. A partir daí foi bacana, a gente morava no mesmo prédio, dividia quarto na concentração, aí jogamos juntos o Sul-Americano e o Mundial, fomos juntos para o Porto, seleção brasileira e agora coincidiu de nos encontrarmos na Juventus. Ele e a esposa são padrinhos do meu segundo filho, é sem dúvida o meu melhor amigo no futebol”, pontuou.

Recuperando sua melhor forma agora no futebol italiano, o lateral-direito entende que a adaptação a vida em si na cidade de Turim tem sido bem-sucedida em um estilo diferente do que havia se habituado a encontrar em Manchester nos mais diversos sentidos:

“É um tanto quanto diferente. Eu que venho da Inglaterra, e lá o clima é mais frio, o pessoal também. Em todos os sentidos. Em Turim o pessoal é mais quente, os torcedores são mais próximos, sempre pedem autógrafos e fotos na rua. Tem sido diferente. Na Inglaterra eu tinha mais tranquilidade, mas é bacana, você se sente mais motivado, acarinhado. Eu gostava muito de Manchester, mas tinha quatro ou cinco opções (de restaurantes), na Itália a variedade da culinária é muito grande e muito rica, tem que tomar cuidado até para não subir o peso demais.”

Por fim, o jogador assume que se sentiu frustrado por não ser convocado para o grupo que foi campeão da Copa América e pontua que o momento é de se concentrar em solidificar suas atuações já visando a Copa do Mundo de 2022 no Catar.

“Para mim é sempre uma honra jogar pela Seleção, é o que a gente almeja, nosso sonho maior. Eu fiquei fora da Copa América e foi uma frustração muito grande, eu tinha trabalhado na Copa do Mundo e também nos amistosos antes da Copa América, e aí fiquei fora. Mas foi pelo motivo de falta de jogo no Manchester City. No fim da temporada, talvez eu não tenha jogado nem três jogos completos. (Copa do Mundo) É o meu objetivo. Sempre falei que eu sou uma pessoa de objetivos curtos. Quando você traça coisas muitos distantes, acaba perdendo o foco. Eu quero chegar nestes próximos amistosos e mostrar meu trabalho, também me estabilizar no meu clube. A partir disso, vou estar sempre na Seleção. Mas, olhando no horizonte, a meta é a Copa do Mundo, até porque não tem nada mais à frente da Copa”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Futebol Latino 2019