Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Print

Tom de declarações no México, apesar da vitória, foi crítico

Meio-campista Carlos Rodríguez e centroavante Raúl Jiménez da seleção do México fizeram ponderações sobre o 3 a 2 frente a Martinica
tom-de-declaracoes-no-mexico-apesar-da-vitoria-foram-criticas-Futebol-Latino-24-06

Certamente o marcador diante da seleção de Martinica no último domingo (24) pela Copa Ouro, apesar de traduzir a terceira vitória em três jogos do México na competição, não foi o esperado pelo torcedor da Tri que lotou as dependências do Bank of America Stadium.

Leia mais: Martinica tenta resistir, mas México vence mais uma na Copa Ouro
Canadá não tem problemas para golear Cuba na Copa Ouro

Até mesmo as declarações concedidas pelos atletas comandados por Gerardo Martino deixaram claro que, mesmo vencendo, a avaliação geral não foi tão positiva. Pensando, principalmente, nos gols sofridos e na quantidade de chances perdidas de frente para a meta de Loic Chauvet.

Segundo o centroavante Raúl Jiménez, foi importante ter 100% de aproveitamento na fase inicial, mas igualmente relevante melhorar no aspecto defensivo e evitar tentos como os do último compromissos. Tentos esses, aliás, que foram os primeiros sofridos no torneio:

“Creio que estamos fazendo as coisas bem, fizemos coisas interessantes, coisas que devemos seguir melhorando. Não podemos sofrer gols assim. Viemos ser campeões, vamos passo a passo, mas pensando que essa é a nossa meta e temos que conseguir.”

Na avaliação de Carlos Rodríguez, é preciso também ser mais eficiente na hora de concluir em gol as oportunidades ofensivas, algo que fez muita falta ao selecionado mexicano principalmente no primeiro tempo e deixou Tata Martino visivelmente irritado na beira do gramado:

“Falamos com ele (Tata). Ele estava irritado porque não aproveitamos as oportunidades que criamos, a falta de contundência nos complicou um pouco a partida.”